UM SÉCULO DE DIAMANG – COMEMORAÇÃO

Segunda-feira, 16 de Outubro 2017
Instituto Superior Técnico
Museu Décio Tadeu – Pavilhão de Minas
das 1500 às 1700

Na data em que faz um século da criação da DIAMANG, temos uma oportunidade para:

  • Celebrar a DIAMANG e os diamantesPortugal e os PortuguesesAngola e os Angolanos e o projeto que desenvolveram no coração do continente africano;
  • Recordar a gesta anterior de Portugueses, Brasileiros e Africanos no princípio do século XVIII, senhores, homens livres ou escravos, que nos sertões brasileiros revolucionaram o mundo dos diamantes, imutável desde a Antiguidade; recordar a abertura de novos mundos e mercados no século XVI, com a descoberta pelos navegadores Portugueses da rota do Cabo, globalizando os diamantes e especiarias da Índia nos mercados europeus.
  • Celebrar uma comunidade de povos e nações que partilham língua, história e cultura nos quatro cantos do mundo.
  • Não esquecendo a História e a celebração do passado, sobretudo, construir pontes para o futuro, promovendo e desenvolvendo em Portugal, em Angola, no Brasil, o conhecimento e a investigação científica sobre os diamantes, as pedras e os minerais preciosos e os seus jazigos, por um lado, e sobre as culturas, povos, línguas e geografia de África, a América do Sul e a Ásia, por outro.

Programa de dia 16 de Outubro, já na segunda-feira

15:00 – Abertura: Prof. Luís Chambel e Prof. Manuel Francisco

Apresentação e discussão informal do programa das comemorações (a decorrer durante o próximo ano)
Visita guiada ao Museu Décio Tadeu e às coleções da DIAMANG e de Angola

15:45 – O diamante, Portugal, Brasil e Angola: uma viagem secular – Luís Chambel

16:30 – Discussão do programa de comemorações e da visita ao Museu (continuação)

Mais informações: mensagens para luischambel@sinese.pt ou messenger (Facebook)

Vitória Stone Fair – NEW DATES

Novas datas para a Feira de Vitória – 6 a 9 de Junho 2017

News release just received:

Vitoria Stone Fair | Marmo+mac Latin America 2017 will take place from 6 – 9 June 2017, in Espirito Santo – Brazil. The event is considered the largest stone exhibition in Latin America and the most objective, economical and efficient way to develop business in Brazil, Latin America and the global stone sector.
The fair brings together an exuberant showcase, with several types of materials with colors and unique textures. Also, novelties in machinery, equipment and stone accessories for the industry. The event attracts buyers from all continents, from importers to exporters, looking for machinery, accessories and services.

Vitória Stone Fair website

 

Atractividade do investimento na produção de diamantes de origem aluvionar

Escrevi esta tese de mestrado (MBA) em 1993, há quase 25 anos.

A idade da tese nota-se nalguns tópicos; continua, no entanto, a ser uma referência útil em língua portuguesa para quem tenha interesse no tema. Como acredito que não seja fácil de encontrar, disponibilizo-a em formato pdf: basta seguir o link.

Acredito que possa ser útil, especialmente para quem, em Angola ou noutros países de língua portuguesa, se inicia nesta actividade.

Mais tarde, na tese de doutoramento, continuei a explorar o tema (embora numa outra perspectiva) – irei também disponibilizar em breve este documento. Finalmente, publiquei em final de 2013 um relatório sobre a indústria dos diamantes de Angola – disponível neste blog, One century of Angolan diamonds (em inglês).

Neste momento, co-oriento duas teses de mestrado e uma de doutoramento ligadas à exploração de diamantes em Angola. Assim estejam concluídas, serão também aqui divulgadas.

 

Feira de Vitória cancelada; Vitoria Stone Fair cancelled

A feira de Vitória, uma das mais importantes feiras de pedra natural no mundo, certamente a mais importante no continente sul-americano, tem sua edição deste ano cancelada devido à situação de insegurança vivida no Estado do Espírito Santo, Brasil.

The Vitoria Stone Fair, one of the key natural stone fairs in the international calendar has been cancelled due to the current insecurity situation in Espirito Santo (Brazil). This situation arose due to a police force strike.

Guanambi (Bahia, BRAZIL): granite and cacti land

R1F02

Thirteen years ago I travelled into Bahia’s (Brazil) hinterland to evaluate ornamental granite deposits. It was a very short stay (36 hours counting the flights to and from Lisbon).
In following years, I travelled by land to the region (either en route to Chapada Diamantina or as a final destination) but the first impressions of granite massifs and cacti are still vivid (photos here).
It’s a poor region with a beautiful arid nature and warm people. Visit if you can; if not, you may read Jorge Amado’s works (my favourite Brazilian author). Doing both is even better.

If you ever travel there, don’t miss Salvador life and cultural heritage and Bahia’s beaches. Carpe diem.

1776, Diamantina (Minas Geraes)

cc-1916-a_0001_est_t24-C-R0150

Diamantina is one of my favourite cities; I lost track of the number of times I visited this LusoBrazilian jewel. The city, the region, its diamonds and geology are a common topic in this blog, either as posts (herehere and here) or photo galleries (herehere and here – just click on the links).
Located north of Belo Horizonte, this town classified as World Heritage was the birthplace of main characters in the Brazilian history (Juscelino Kubistchek, President and a central figure of the Brazilian XX century and Chica da Silva, the slave-lady a mythical figure of the XVIII century turned feminist and slave liberation icon).
It was in Diamantina (then Tejuco), around the end of the first quarter of the XVII century, that diamonds were first discovered outside India, setting a new era for the industry.
The Biblioteca Nacional (the Portuguese National Library) just published a digital version of a map dated 1776 on the demarcation to the diamond mining region, whose center is Diamantina (the Arraial do Tejuco).
The map, bought in an auction held in 2011, may have been an annex of official correspondence between the Real Extracção (in Minas Gerais) and the Directoria dos Diamantes (in Lisbon).

Diamantina é uma das minhas cidades favoritas; perdi já a conta às visitas que fiz a esta jóia mineira e luso-brasileira. A cidade, a região e os seus diamantes e geologia são tema frequente de textos (aqui, aqui e aqui) e fotografias publicados neste blog (aqui, aqui e aqui – basta clicar para aceder aos textos e às galerias de fotos).
Localizada a norte de Belo Horizonte, esta cidade hoje Património Mundial, viu nascer Juscelino Kubistchek (Presidente da República e personagem central do século XX brasileiro) e Chica da Silva (a escrava-senhora, mítica personagem do século XVIII).
No primeiro quartel do século XVIII, Diamantina foi o local onde foram descobertos os primeiros diamantes no Brasil, os primeiros diamantes produzidos fora da Índia dando início a uma revolução no mercado desta pedra preciosa.
A Biblioteca Nacional publicou  a versão digital de um mapa datado de 1776 relativo à demarcação diamantina – delimitação da área onde se realizava a extracção de diamantes e em cujo centro se localizava o Arraial do Tejuco (Diamantina).

O mapa representa a demarcação da Região Diamantina, situada na comarca do Serro Frio, na Capitania de Mato Grosso (hoje Estado de Minas Gerais), no Brasil. O centro da demarcação era o Arraial do Tejuco, a actual Diamantina. Este mapa pode ter feito parte de um anexo da correspondência trocada entre a Real Extracção dos Diamantes, no Arraial do Tejuco, e a Directoria dos Diamantes, em Lisboa – in Biblioteca Digital Luso-Brasileira.

Este mapa, sem autor atribuído, foi adquirido pela Biblioteca Nacional de Portugal em Abril de 2011 num leilão organizado pelo Palácio do Correio Velho.

 

Going to PDAC – meet and talk

A last minute decision – I am traveling to Toronto to attend PDAC 2016.

It’s the perfect place to meet and talk: Angola, Mozambique, Brazil and Portugal, diamond and other gems, Nb-Ta and other pegmatite minerals, tungsten, gold, ferrous and base metal deposits, industrial minerals, natural stone. Challenges and opportunities.

Where and when can we meet? luischambel@sinese.pt

 

 

Angola e Portugal – nos 40 anos de uma nova história

Aprendi a andar em Moçambique e a ler em Angola. Viajo com frequência para lá (em especial Angola, com nova viagem para daqui a uns dias). Sou da última geração que sente uma forte pertença àquelas terras (como a Timor, Guiné, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Macau) e outras às quais por onde Portugal andou (talvez por já estar impresso no meu código genético). Sou português mas também cabo-verdiano, angolano, brasileiro, de Malaca, Goa, ou Colombo.

Sim, a relação entre os Governos e os Estados nem sempre é simples – facilmente se torna extremada, bipolar, passando do sempre irmãos à acusação epidérmica de neo-colonista, interesses escondidos ou causa ancestral dos nossos males e vice-versa (como o bestial a besta do futebol). Contudo, o que conta, como com os amigos, são as experiências que vivemos juntos, as lutas que travámos do mesmo lado, as crises que superámos, a História.

Ferreira Fernandes assina no DN, a propósito da celebração dos 40 anos da independência angolana um excelente artigo: Aquele país que ali vai conhecemo-lo mais do que sabemos. Não deixem de ler.

Quero (re)nascer no Brasil

UNESCO lança publicações sobre sítios arqueológicos e patrimônios mundial e imaterial no Brasil

Publiquei há uns dias um artigo com os links para três publicações sobre sítios geológicos e paleontológicos do Brasil. A UNESCO acaba de lançar duas novas publicações sobre o património mundial, imaterial e arqueológico do Brasil.

Tenho a sorte de já ter visitado alguns dos locais fotografados nestas publicações; há muito mais locais a visitar, quem sabe 2016 ? Fernando e Delmo?  Ou talvez (re)nascer no Brasil…

Obrigado à UNESCO e aos autores:

Livro: Patrimônio da Humanidade no Brasil: suas riquezas culturais e naturais
Textos de Marilúcia Botallo, Fotos de Marcos Piffer, Ilustrações de Paulo Von Poser
Formato: 31,5×23,5 cm; capa dura; 220 páginas
Para acessar a verão digital disponível no site da UNESCO, clique aqui. ou diretamente aqui: Patrimônio da Humanidade no Brasil: suas riquezas culturais e naturais

Livro: Sítios arqueológicos brasileiros
Textos de Cristiane de Andrade Buco, Introdução de Niède Guidon
Formato: 24,5×24,5 cm; capa dura; 200 páginas
Para acessar a verão digital disponível no site da UNESCO, clique aqui. ou diretamente aqui: Sítios arqueológicos brasileiros

SAMARCO DAM FAILURE IN MARIANA (MINAS GERAIS, BRAZIL) – Latest information

There is not a final casualty number arising from the failure of two tailings’ dams of the Alegria iron mine. The mine, owned by SAMARCO – a BHP and VALE joint venture, is located in the region of Mariana – Ouro Preto (Minas Gerais, Brazil). Workers at the site are reported dead or missing (some sources refer one confirmed dead, 13 missing). Bento Rodrigues and other localities downstream of the accident were flooded by mud – there still is no information on victims there (images from these sites suggest likely human casualties).
The effort and attention is now directed to help those affected by this accident and to assess its full impact. The material released to the affected hydrographic basin is mostly composed by silica, a inert material according to SAMARCO’s latest report.  Minuto Mais published aerial footage of the affected area in their Facebook page.
There is no explanation for the failure of the dams, SAMARCO’s worst crisis – SAMARCO’s CEO quoted in Valor Econômico, a Brazilian publication. SAMARCO issued two reports; VALE and BHP issued statements (VALE; BHP).
The accident has been widely reported in international specialised – Mining Journal – and economic media – Financial Times and Wall Street Journal.