2017 diamond flows and what lies ahead

IDEX just reported on the 2017 Diamond Pipeline in the latest number of their online magazine. The 2017 update of IDEX’s conceptual map is an insert of a wider analysis of the current state of the diamond industry. It’s always worthwhile to read informed analysis; don’t miss it at http://www.idexonline.com/Magazine.html.

IDEX’s Magazine view is somber, considering 2017 as the calm before the storm. “The industry is heading into a period where the next few years will see some of the fundamental operating principles of the industry undergo changes“. The main industry drivers, in their opinion are the

  • industry financing,
  • tightening diamond supplies (apparently good news for me, as my company is active in the exploration and evaluation of diamond deposits especially in Angola),
  • lab-grown diamonds (synthetics) – our favorite villain since I remember,
  • compliance and the
  • data tsunami (with the potential to reshape the industry) – see our post of a few weeks ago on gold, gold, gold, crypto coins, blockchain and diamonds.

I am an optimist: changes are just a fact of life. There will be those that won’t adapt, others will. To be one of the laters, keep checking your markets’ pulse, keep changing.

Isabel dos Santos exonerada da Presidência da SONANGOL

De acordo com notícias publicadas há minutos, Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente de Angola, foi exonerada da Presidência da SONANGOL.

Isabel dos Santos é substituída no cargo por Carlos Saturnino, que ocupava o lugar de Secretário de Estado dos Petróleos no Governo Angolano.

http://expresso.sapo.pt/economia/2017-11-15-Isabel-dos-Santos-exonerada-da-Sonangol

https://eco.pt/2017/11/15/isabel-dos-santos-exonerada-da-sonangol-por-joao-lourenco

 

 

 

 

UM SÉCULO DE DIAMANG – COMEMORAÇÃO

Segunda-feira, 16 de Outubro 2017
Instituto Superior Técnico
Museu Décio Tadeu – Pavilhão de Minas
das 1500 às 1700

Na data em que faz um século da criação da DIAMANG, temos uma oportunidade para:

  • Celebrar a DIAMANG e os diamantesPortugal e os PortuguesesAngola e os Angolanos e o projeto que desenvolveram no coração do continente africano;
  • Recordar a gesta anterior de Portugueses, Brasileiros e Africanos no princípio do século XVIII, senhores, homens livres ou escravos, que nos sertões brasileiros revolucionaram o mundo dos diamantes, imutável desde a Antiguidade; recordar a abertura de novos mundos e mercados no século XVI, com a descoberta pelos navegadores Portugueses da rota do Cabo, globalizando os diamantes e especiarias da Índia nos mercados europeus.
  • Celebrar uma comunidade de povos e nações que partilham língua, história e cultura nos quatro cantos do mundo.
  • Não esquecendo a História e a celebração do passado, sobretudo, construir pontes para o futuro, promovendo e desenvolvendo em Portugal, em Angola, no Brasil, o conhecimento e a investigação científica sobre os diamantes, as pedras e os minerais preciosos e os seus jazigos, por um lado, e sobre as culturas, povos, línguas e geografia de África, a América do Sul e a Ásia, por outro.

Programa de dia 16 de Outubro, já na segunda-feira

15:00 – Abertura: Prof. Luís Chambel e Prof. Manuel Francisco

Apresentação e discussão informal do programa das comemorações (a decorrer durante o próximo ano)
Visita guiada ao Museu Décio Tadeu e às coleções da DIAMANG e de Angola

15:45 – O diamante, Portugal, Brasil e Angola: uma viagem secular – Luís Chambel

16:30 – Discussão do programa de comemorações e da visita ao Museu (continuação)

Mais informações: mensagens para luischambel@sinese.pt ou messenger (Facebook)

100 anos – DIAMANG, 2017

Bom Agosto, boas férias para todos os que as gozam agora.
É altura de começar a planear o final do ano e 2018.

A DIAMANG faz 100 anos daqui poucos meses.

É oportunidade para celebrarmos ao longo de 2017 e 2018, a DIAMANG e os diamantes, Portugal e os Portugueses, Angola e os Angolanos.
Já existem algumas ideias; são precisas mais. O que podemos fazer, e onde?
  • O quê?
    • Conferências técnicas
    • Almoços
    • Exposição de fotografias
    • Edição de livros
    • Artesanato da Lunda
    • Minerais e rochas ligados aos diamantes
    • Que mais?
  • Onde?
    • Lisboa, claro.
    • Luanda, evidentemente.
    • Porque não na Lunda?
    • Porto.
    • Sardoal.
    • Moura.
    • Viana do Castelo.
    • Onde mais?
Serão precisos voluntários para ajudar a organizar e coordenar os eventos; estou certo que poderei contar com Pedro Batista Tomé, Joao Pedro Roque, Isabel Inácio, Luz d’Oliveira Belchior, Jose de Sá, Graziela Valente, Ana Carvalho, Isabel Redondo e muitos outros em todo o Mundo.
Vamos precisar de recursos audiovisuais, peças e artefactos, mapas, filmes e fotografias (antigas e modernas).
Se me fizerem chegar (através de comentários no blog, no Facebook ou LinkedIn ou através do meu email – luischambel@sinese.pt) as vossas ideias, nome e contactos durante Agosto, poderemos começar a organizar tudo logo no início de Setembro – o primeiro evento será a 16 de Outubro.
Abraço a todos.
Boas férias.

Camissombo – Moquita – Lucapa – Saurimo – Malanje – Luanda: ida e volta

Angola 20170313 115220
A caminho do trabalho – garimpo na Lunda Norte

Um projecto de prospecção e exploração de diamantes de aluvião levou-me, de novo, a Angola.

Estreámos uma nova tecnologia (um drone acabado de comprar; como vivemos até agora sem um?), revimos velhos amigos e fizemos novos conhecimentos, falámos com garimpeiros e ouvimos a chamada muçulmana para as orações às 4 da manhã no Lucapa, experimentámos uma (para nós) inédita viagem por estrada Camissombo – Moquita – Lucapa – Saurimo – Malanje – Luanda, atravessámos e viajámos no rio Luachimo.

Viajo (e trabalho) há vinte cinco anos para Angola; nenhuma viagem foi tão intensa. Os filmes e as fotos que irei publicando ao longo das próximas semanas são para mim forma de não esquecer; para quem já lá viveu, pretexto para recordar.

A Sínese é uma empresa especializada em Geologia Económica e Análise e Sistemas Inteligentes. Fundada em 1995, a Sínese realizou estudos técnicos, económicos e de mercado, desenvolveu sistemas de informação especializados, concebeu e implementou projetos de prospecção, avaliação, mineração de recursos minerais em diversos países e continentes – Europa (Portugal), África (Angola, República do Congo, África do Sul, Angola) e nas Américas (Canadá, Estados Unidos, Brasil, Argentina, Uruguai e Equador).
Em particular, a Sínese esteve envolvida em inúmeros projetos ligados à prospecção e mineração de diamantes jazigos aluvionares e quimberlíticos em Angola e no Brasil, de pedra natural em Portugal, no Brasil e em Angola e de ouro e/ou nióbio e tântalo (nomeadamente aluvionares) em Portugal e na República do Congo, manganês e outros metais no Brasil.
A Sínese, coordenada por Luís Chambel – luischambel@sinese.pt , é constituída por uma equipa coesa, flexível e altamente qualificada, com especialistas em diversas disciplinas técnicas e científicas, desde a Engenharia de Minas, Geológica Económica e Aplicada, Sistemas de Informação Geológica, Estatística e Análise de Dados.