UM SÉCULO DE DIAMANG – COMEMORAÇÃO

Segunda-feira, 16 de Outubro 2017
Instituto Superior Técnico
Museu Décio Tadeu – Pavilhão de Minas
das 1500 às 1700

Na data em que faz um século da criação da DIAMANG, temos uma oportunidade para:

  • Celebrar a DIAMANG e os diamantesPortugal e os PortuguesesAngola e os Angolanos e o projeto que desenvolveram no coração do continente africano;
  • Recordar a gesta anterior de Portugueses, Brasileiros e Africanos no princípio do século XVIII, senhores, homens livres ou escravos, que nos sertões brasileiros revolucionaram o mundo dos diamantes, imutável desde a Antiguidade; recordar a abertura de novos mundos e mercados no século XVI, com a descoberta pelos navegadores Portugueses da rota do Cabo, globalizando os diamantes e especiarias da Índia nos mercados europeus.
  • Celebrar uma comunidade de povos e nações que partilham língua, história e cultura nos quatro cantos do mundo.
  • Não esquecendo a História e a celebração do passado, sobretudo, construir pontes para o futuro, promovendo e desenvolvendo em Portugal, em Angola, no Brasil, o conhecimento e a investigação científica sobre os diamantes, as pedras e os minerais preciosos e os seus jazigos, por um lado, e sobre as culturas, povos, línguas e geografia de África, a América do Sul e a Ásia, por outro.

Programa de dia 16 de Outubro, já na segunda-feira

15:00 – Abertura: Prof. Luís Chambel e Prof. Manuel Francisco

Apresentação e discussão informal do programa das comemorações (a decorrer durante o próximo ano)
Visita guiada ao Museu Décio Tadeu e às coleções da DIAMANG e de Angola

15:45 – O diamante, Portugal, Brasil e Angola: uma viagem secular – Luís Chambel

16:30 – Discussão do programa de comemorações e da visita ao Museu (continuação)

Mais informações: mensagens para luischambel@sinese.pt ou messenger (Facebook)

100 anos – DIAMANG, 2017

Bom Agosto, boas férias para todos os que as gozam agora.
É altura de começar a planear o final do ano e 2018.

A DIAMANG faz 100 anos daqui poucos meses.

É oportunidade para celebrarmos ao longo de 2017 e 2018, a DIAMANG e os diamantes, Portugal e os Portugueses, Angola e os Angolanos.
Já existem algumas ideias; são precisas mais. O que podemos fazer, e onde?
  • O quê?
    • Conferências técnicas
    • Almoços
    • Exposição de fotografias
    • Edição de livros
    • Artesanato da Lunda
    • Minerais e rochas ligados aos diamantes
    • Que mais?
  • Onde?
    • Lisboa, claro.
    • Luanda, evidentemente.
    • Porque não na Lunda?
    • Porto.
    • Sardoal.
    • Moura.
    • Viana do Castelo.
    • Onde mais?
Serão precisos voluntários para ajudar a organizar e coordenar os eventos; estou certo que poderei contar com Pedro Batista Tomé, Joao Pedro Roque, Isabel Inácio, Luz d’Oliveira Belchior, Jose de Sá, Graziela Valente, Ana Carvalho, Isabel Redondo e muitos outros em todo o Mundo.
Vamos precisar de recursos audiovisuais, peças e artefactos, mapas, filmes e fotografias (antigas e modernas).
Se me fizerem chegar (através de comentários no blog, no Facebook ou LinkedIn ou através do meu email – luischambel@sinese.pt) as vossas ideias, nome e contactos durante Agosto, poderemos começar a organizar tudo logo no início de Setembro – o primeiro evento será a 16 de Outubro.
Abraço a todos.
Boas férias.

Lítio em Portugal – Relatório do grupo de trabalho

Encontra-se disponível para consulta pública o relatório do Grupo de Trabalho “Lítio”, criado por Despacho nº 15040/2016 do Secretário de Estado da Energia (publicado no D.R., 2ª Série, de 13 de dezembro de 2016). O relatório pode ser obtido no site da DGEG ou directamente aqui.

Todos os interessados poderão apresentar aqui os seus comentários e sugestões até ao próximo dia 8 de julho.

Debaixo dum chapéu de ferro em Chança

IMG_4279

Debaixo dum chapéu de ferro, no vale do rio Chança, a poucos quilómetros da antiga mina de São Domingos, o grupo do I Seminário de Prospeção do Projeto EXPLORA.

Já está disponível no blog a minha galeria de fotos deste dia.

Aproveito para agradecer à ideia e à estrutura deste seminário, com excelente conteúdo e óptima organização. Faço também minhas as palavras de Igor Morais da organização, deixando um agradecimento especial ao Prof. Jorge Relvas pela excelência da conferência apresentada sob o tema do seminário: alteração hidrotermal associada a sulfuretos maciços.

A todos os participantes, obrigado pelo óptimo ambiente.

Luís Chambel, Sínese
luischambel@sinese.pt

A política de transportes em Londres; e Lisboa?

Em Londres:

Healthy Streets for London
Prioritising walking, cycling and public transport to create a healthy city

healthy-streets-for-london

E em Lisboa?

As obras recentes (e em curso) são aquilo de que necessitamos?
É uma opção certa municipalizar o transporte público? Com importantes fluxos intermunicipais, mudando o paradigma anterior, não faz mais sentido pensar e gerir de forma integrada, metropolitana?
E interfaces para bicicletas e transportes públicos?
E estacionamentos seguros para bicicletas em espaços comerciais?
Podemos começar a pensar tendo 2040 e para lá disso como horizonte? Ou vamos continuar a reagir, sem planear?
Onde estão os recursos financeiros para uma verdadeira política de transportes?
E a electrificação dos transportes? E a integração da rede eléctrica doméstica com o transporte individual?

E nas outras cidades?
E no país profundo?

Sim, hoje o tema sai do habitual.
Não, não é a minha praia.
Mas vivo aqui.

 

Atractividade do investimento na produção de diamantes de origem aluvionar

Escrevi esta tese de mestrado (MBA) em 1993, há quase 25 anos.

A idade da tese nota-se nalguns tópicos; continua, no entanto, a ser uma referência útil em língua portuguesa para quem tenha interesse no tema. Como acredito que não seja fácil de encontrar, disponibilizo-a em formato pdf: basta seguir o link.

Acredito que possa ser útil, especialmente para quem, em Angola ou noutros países de língua portuguesa, se inicia nesta actividade.

Mais tarde, na tese de doutoramento, continuei a explorar o tema (embora numa outra perspectiva) – irei também disponibilizar em breve este documento. Finalmente, publiquei em final de 2013 um relatório sobre a indústria dos diamantes de Angola – disponível neste blog, One century of Angolan diamonds (em inglês).

Neste momento, co-oriento duas teses de mestrado e uma de doutoramento ligadas à exploração de diamantes em Angola. Assim estejam concluídas, serão também aqui divulgadas.

 

Minas e Geologia – Norte de Portugal (roteiro)

Acabei de descarregar e ler (ainda só em diagonal, confesso) uma roteiro sobre Minas e Geologia – Norte de Portugal no website do Turismo do Porte e Norte de Portugal.

O roteiro apresenta diversas sugestões de visita na região norte de Portugal, do Geopark Arouca às Minas de Castromil, passando pelo Parque Arqueológico do Vale do Terva – PAVT, pelo Museu Mineiro de S. Pedro da Cova – Casa da Malta, pelo Geopark Terras de Cavaleiros, Museu da Pedra de Marco de Canaveses, Museu dos Jazigos Minerais Portugueses em Matosinhos, ao Passeio Geológico da Foz do Douro, aos Museus da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto – FEUP e do Instituto Superior de Engenharia do Porto – ISEP, ao Museu do Ferro e da Região de Moncorvo, ao Parque Paleozóico e ao Museu da Lousa em Valongo, Complexo Mineiro Romano de Tresminas em Vila Pouca de Aguiar e (finalmente…) ao Museu de Geologia Fernando Real, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)

Eu preferia que as minas estivessem activas, estas ou outras, a produzir riqueza e a criar trabalho para o País e a região; ao menos, temos um roteiro para passear e aprender em locais com importância geológica e mineira. Parabéns a quem teve a ideia e a concretizou.

Carpe diem

The Portuguese Natural Stone industry

A short updated summary

Portugal is an old and important natural stone producer and exporter – 380 M USD in 2015 (roughly over 70% of it as finished products) being, on a per capita basis, the largest world exporter. The country’s stone exports have a high added value, its average price being one of (if not) the largest in the world.

The Portuguese natural stone production is diversified, ranging from marble and limestone quarried in the South and Centre of the country to granites in the Centre and North of Portugal. The country also has an important stone manufacturing base, with factories located near Lisbon (Pero Pinheiro) and in the main quarrying centres. The country is also a manufacturer of specialized equipment and machinery for the stone industry.

The natural stone industry is fragmented, being composed mostly of family owned businesses.

All these factors (abundant, diversified sources, widespread know-how, relatively low capital intensive) contributed along millennia to a stone culture in the country – Portugal has the largest concentration of pre-historic stone monuments in Europe and natural stone is used in virtually every single house in Portugal.

The country is well placed to be a trade platform between Europe, Africa and the Americas (with all of which Portugal has important historical, cultural and economic ties), with good transport infrastructure (notably the Sines deep water harbour and an excellent road network) and competitive specialized manpower.

You may download this in pdf format (and tables) from here The Portuguese Natural Stone industry – a short summary. You may also read more herehere and elsewhere in this blog (just use the search tool, here). For more detailed information drop me a line at luischambel@sinese.pt.

 

Mineral Waters: Genesis, Exploitation, Protection and Valorisation – MinWat2017

Screen Shot 2016-06-30 at 13.12.35

The 2nd International Multidisciplinary Conference on Mineral Waters: Genesis, Exploitation, Protection and Valorisation – MinWat2017 – will take place next year late March (26 to 31) in Luso (Portugal).

The theme is important, the natural setting idyllic and the organising committee is top-notch (although I shouldn’t say so, as two great friends of mine are part of it); where else should you be? To know more just follow the link to the Conference’s webpage.