Apresentação do Livro “Carvão de Aço” de Adriano Miranda, 7 maio 2018

7 de maio de 2018 – 12.30 – Biblioteca da FEUP

“… Os mineiros do Pejão ensinaram-me os valores da dignidade e da luta. Os valores do Trabalho. Foi assim que me fiz. Com eles …”
“…Tenho muito pouco orgulho nos trabalhos que faço, mas neste, sim, tenho muito orgulho … Uma homenagem àqueles Homens …”
Adriano Miranda

O Departamento de Engenharia de Minas e a Biblioteca da FEUP promovem no próximo dia 7 de maio (12.30) uma apresentação do Livro “Carvão de Aço” do fotojornalista Adriano Miranda.

Em 1992, Adriano Miranda era estudante no Curso de Fotografia na AR.CO em Lisboa. Entre muitos projetos académicos, Adriano entregou-se de alma e coração a recolher imagens nas Minas do Pejão em Castelo de Paiva, projeto que se prolongou até 1994,  ano do encerramento do complexo mineiro.

Passados 25 anos e de uma forma surpreendente, os milhares de negativos a preto e branco voltaram a ver a luz do dia dando origem ao Livro “Carvão de Aço”, um memorial aos homens e mulheres que trabalharam nas Minas de Carvão do Pejão.

Esta apresentação pretende ser mais uma oportunidade para dar voz à Comunidade Mineira do Pejão e perpetuar a memória de uma atividade que envolveu tantos mineiros e por muito tempo ao serviço da sociedade.

Se prevê estar presente e meramente para fins logísticos, o Departamento de Engenharia de Minas da FEUP solicita que se inscreva através do seguinte endereço:
https://paginas.fe.up.pt/~formularios/deminas/

Minas de carvão do Pejão – Pejão coal mines (NW Portugal)

Na mina do Pejão: A melhor turma de Minas do Técnico em viagem (ou como agora se diria, on tour) com o Prof. Décio Tadeu e Prof. Diogo Pinto
Na mina do Pejão, 1986: A melhor turma de Minas do Técnico em viagem (ou como agora se diria, on tour) com o Prof. Décio Tadeu e Prof. Diogo Pinto
Meanwhile closed, the coal Pejão mine was for decades one of the most important Portuguese mines (employing over 3.000 workers in its heyday).
The main sectors of Minas do Pejão are the Couto Mineiro do Pejão and the Paraduça 1 claim, defining a corridor extending from Germunde to Paraduça – including Pedorido, Raiva e Paraíso, all in the Castelo de Paiva municipality (Aveiro district).
The main mining center is located 45 km by road E of Oporto, in the left bank of the Douro River. The Estrada Marginal (the panoramic road) passing in the right bank connects Oporto with Entre-os-Rios (in the confluence to the Douro and Tâmega rivers).
Like the S. Pedro da Cova, Pederneira, Lomba and other coal mines, Pejão is located within the Douro Coal Basin (Bacia Carbonífera do Douro) – extending from Esposende to Gafanhão and Queiriga (Castro Daire municipality).
in MACHADO, A. Cabral D. (1970) — As Minas de Carvão do Pejão (complete article here) – in Portuguese.
Entretanto já encerrada, a mina do Pejão, produtora de carvão, foi durante décadas uma das grande minas portuguesas (tendo empregue a dada altura mais de 3.000 trabalhadores).
Os principais compartimentos das Minas do Pejão, ou seja, o Couto Mineiro do Pejão e a concessão de Paraduça 1, ocupam uma faixa que se estende desde Germunde até Paraduça, passando pelas freguesias de Pedorido, Raiva e Paraíso, todas elas pertencentes ao concelho de Castelo de Paiva e distrito de Aveiro.
O seu centro principal de extracção e instalações situa-se em Germunde, na margem esquerda do Douro, e dista do Porto, por estrada, cerca de 45 quilómetros.
Na sua frente e do outro lado deste rio, de beleza e grandiosidade incomparáveis, passa a Estrada Marginal, por assim dizer uma estrada turística, que liga o velho burgo do Porto com Entre-os-Rios, situado na confluência do Douro com o Tâmega.
Estas minas estão situadas, como as de S. Pedro da Cova, Pederneira, Lomba e outras, na mancha carbonífera do Noroeste de Portugal, também conhecida por Bacia Carbonífera do Douro, que se estende aproximadamente desde Esposende até Gafanhão e Queiriga (no concelho de Castro Daire).

in MACHADO, A. Cabral D. (1970) — As Minas de Carvão do Pejão (artigo completo aqui).